terça-feira, 14 de agosto de 2012

Obras



As pinturas de Leonardo da Vinci estão marcadas por algumas qualidades, dentre essas estão as técnicas inovadoras que ele usou na aplicação da tinta, seu conhecimento detalhado de anatomia, luz, botânica e geologia, seu interesse na fisiognomonia  (a arte de conhecer o caráter dos homens pela observação das feições do rosto ) e na maneira pelo qual os humanos registram emoções em suas expressões e gestos, seu uso inovador da forma humana em composições figurativas, e o uso da graduação sutil da tonalidade. Essas estão presentes nas seguintes pinturas: Mona Lisa, A Última Ceia e a Virgem dos Rochedos.
Suas primeiras obras foram feitas em Florença no estúdio de Verrocchio, após Messer Piero , pai de Da Vinci, levar alguns de seus trabalhos para o ateliê do pintor, perguntando-o se valeria investir nele, então Verrocchio espantado com o talento de Da Vinci aceitou-o no seu estúdio. Esse inicio fio marcado por um dos seus trabalhos mais intrigantes o “Retrato de Bernardo di Baroncelli executado”


Trata-se do retrato de um cadáver, um participante da Congiura dei Pazzi, executado pelo assassinato de Giuliano de' Medici.

A Conspiração dos Pazzi (em italiano Congiura dei Pazzi) foi uma tentativa dessa família de banqueiros florentinos, chefiada por Giacomo Pazzi, de tomar o poder à família Médici.

Na inscrição no topo do papel, Leonardo descreve o vestuário do executado, incluindo as cores com sua típica escrita invertida.

Na margem inferior direita do trabalho aparece ainda uma cabeça. Referência notável para o seu trabalho é a facilidade e o domínio do traço, que revelaria mais tarde no pincel.





           Duas de suas primeiras pinturas datam o tempo que ele passou no ateliê de Verrocchio, que são “A Anunciação de Fra Angelico (1437-1446)” e “A Anunciação de Leonardo da Vinci (1472-1475)”

A Anunciação de Fra Angelico (1437-1446)

 Uma pequena obra de 59 X 14 centímetros, retratando Maria desviando seus olhos, e dobrando suas mãos, num gesto que simbolizava a submissão à vontade de Deus.

A Anunciação de Leonardo da Vinci (1472-1475)

No entanto nessa Maria não está nem um pouco submissa. A bela jovem, interrompida em sua leitura por este inesperado mensageiro, coloca um dedo na sua Biblia para marcar o lugar onde parou e levanta sua outra mão num gesto formal de saudação ou surpresa. Esta jovem tranquila parece aceitar seu papel como a Mãe de Deus, não com resignação, mas com confiança. Nesta pintura o jovem Leonardo apresenta a face humanista da Virgem Maria, reconhecendo o papel da humanidade na encarnação de Deus.
           Nesta mesma época Leonardo desenvolveu uma obsessão pela perfeição das obras e desenvolveu imensamente a sua técnica, que o levou a criar outras inéditas, como o sfumato ( é o nome da técnica artística usada para gerar gradientes perfeitos na criação de luz e sombra de um desenho ou de uma pintura)  hoje conhecido através da Mona Lisa.

Vale do Arno, 5 de Agosto de 1473

Mais tarde usado como fundo na famosa pintura Mona Lisa, retrata um estudo a pena e tinta sobre um suporte preparatório quase invisível, mostra a vista sobre um vale com montes e escarpas de ambos os lados, abrindo no fundo uma escassa visibilidade do mar. A vista poderá ser do caminho entre Vinci e Pistoia e, provavelmente, terá sido esboçado a lápis ao ar livre in loco (no local), e depois completada a pena e tinta no ateliê. No início do século XX, Woldemar von Seidlitz compreendeu as fortificações de Papiano nas muralhas e torres numa colina à esquerda da composição. A importância deste desenho não se reflete só no fato de ter sido feito por Leonardo, mas sim, em figurar como um dos primeiros desenhos autónomos de paisagens de toda a História da Arte.
Quando iniciou sua carreira profissional em 1476, encomendaram a ele a pintura de uma jovem chamada de Ginevra de' Benci (foi uma dama da aristocracia no século XV em Florença. Ela é matéria de uma das poucas pinturas ainda existentes atribuídas a Leonardo da Vinci.). A expressão facial da jovem é o mais intrigante na pintura, a incerteza dos seus sentimentos intriga os especialistas; não se sabe se está cansada, triste, serena, zangada, ou seja, um rol de sentimentos inacabáveis que a expressão facial lhe atribui. Uma jovem que oculta o íntimo, modesta, ausente de joias, tem como maior adorno a própria beleza natural como a paisagem que a cerca, o que poderia justificar a inscrição do reverso.


Frente e Verso de Ginevra de' Benci 

Mais tarde na década de 1480, encomendaram mais três obras pra ele, mas só conseguiu completar uma, pois estava indo para Milão. Uma dessas pinturas é a “São Jerônimo no Deserto” é associada com um período difícil da vida de Leonardo, e coincide com sinais de melancolia encontrados em seu diário: "Achei que estava aprendendo a viver; estava apenas aprendendo a morrer."  A sua forma, ao ajoelhar-se, adquire um contorno trapezoide, com um braço esticado à borda exterior da pintura, e seu olhar virado para a direção oposta; alguns estudiosos apontam na obra ligações com os estudos anatômicos de Leonardo.

 São Jerônimo no Deserto

Em Milão, Da Vinci é contratado para pintar na capela de São Francisco para abrilhantar o altar, com isso veio seu terceiro mais importante trabalho “A Virgem dos Rochedos”. Ele  escolheu pintar um enfático momento da infância de Cristo, quando o pequeno João Baptista, com a proteção do anjo Uriel, conheceu a Sagrada Família numa gruta do Egito, cena da tradição cristã dos livros apócrifos (são os livros escritos por comunidades cristãs e pré-cristãs, nos quais os pastores e a primeira comunidade cristã não reconheceram a Pessoa e os ensinamentos de Jesus Cristo) e de uma Florença deixada para trás, de inúmeras lendas sobre São João Batista. Neste cenário rochoso que evoca a um passeio de infância do artista ao Monte Ceceri (próximo do território florentino), João reconhece e adora Jesus como o Cristo.


A Virgem dos Rochedos

Por volta de 1488, Da Vinci, pinta mais uma de suas obras, o retrato de uma dama da aristocracia, que segura em suas mãos um arminho, conhecida como “Dama com Arminho”, retratando Cecília Gallerani. Nesta obra há alguns mistérios sobre o simbolismo do arminho, acredita-se que é uma alusão ao apelido da jovem aristocrata, visto que o som de «Gallerani» é remanescente do significado grego para arminho, «galée».

Dama com Arminho






Após isso na década de 1490, Leonardo é atribuído com a pintura “O Retrato de Mulher de Perfil”. No qual é uma mulher igualmente de perfil e com características semelhantes ao retrato de Cecília Gallerani, que foi identificado graças a uma impressão digital e análises científicas. Inicialmente denominado Mulher de Perfil com Vestido da Renascença, foi renomeado de “La Bella Principessa” por Kemp, que identificou a retratada como Bianca Sforza, filha de Ludovico Sforza e sua amante Bernardina de Corradis.  

La Bella Principessa


O Retrato de Mulher de Perfil


Nesta mesma data mais dois retratos foram atribuídos a ele, “ Retrato de um Músico”, que foi o único retrato masculino e ”La Belle Ferronière”, retrato de Lucrezia Crivelli, amante de Ludovico. 



Retrato de um Músico

La Belle Ferronière
Na mesma década, Leonardo pintou sua obra mais famosa da década 1490 a “Última Ceia”, a qual foi pintada no refeitório dos padres  dominicanos de Santa Maria delle Grazie em Milão. A pintura apresenta a última ceia, partilhada por Jesus com seus discípulos, antes de sua captura e execução. Mostra o momento específico em que Jesus, de acordo com o relato bíblico, teria dito aos apóstolos que um deles o trairia.  Quando terminada, a pintura foi aclamada como uma obra-prima do desenho e da caracterização, porém rapidamente deteriorou-se, a tal ponto que, cem anos depois de seu término, a obra foi descrita por um observador como "completamente arruinada". Leonardo, em vez de usar a técnica mais confiável do afresco (obra feita sobre uma parede de gesso ou argamassa), utilizou-se da têmpera(é um método de pintura no qual os pigmentos de terra são misturados a um “colante”, uma emulsão de água e gemas de ovo ou ovos inteiros (às vezes cola ou leite)) sobre uma superfície feita basicamente de gesso - o que resultou num material sujeito ao mofo e a esfarelar-se. Apesar disso, a pintura continua a ser uma das obras de arte mais reproduzidas de todos os tempos, e incontáveis cópias suas são feitas corriqueiramente, das maneiras mais variadas - de tapetes a camafeus.

Última Ceia
             

        Em 1500, Da Vinci volta para Florença, e trabalha em mais uma de suas obras Mona Lisa”, no qual melhora sua técnica sfumato ( é o nome da técnica artística usada para gerar gradientes perfeitos na criação de luz e sombra de um desenho ou de uma pintura). Uma pintura a óleo sobre madeira de álamo, que representa uma mulher com uma expressão introspectiva e um pouco tímida,  seu sorriso restrito é muito sedutor, mesmo que um pouco conservador,  seu corpo representa o padrão de beleza da mulher na época de Leonardo. Este quadro é provavelmente o retrato mais famoso na história da arte, senão, o quadro mais famoso e valioso de todo o mundo.

Mona Lisa

        Em 1513, vai para Roma e pinta suas últimas obras que são “São João Batista”, “Leda e o Cisne” seu único nú, hoje perdido, e devido a fraqueza de sua mão, estava incapaz de dar continuidade a “Virgem e o Menino com Santa Ana”, que levou consigo, juntamente de outras pinturas como Mona Lisa para a França em 1516, onde viveria seus últimos anos.

Virgem e o Menino com Santa Ana


Leda e o Cisne

São João Batista












                 
  




         




Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário